O TERCEIRO SEGREDO

O TERCEIRO SEGREDO
(09/08/2001)

O filme “Treze Dias que Abalaram o Mundo” oferece uma visão providencial de John F. Kennedy, o primeiro católico eleito presidente dos Estados Unidos, e seus assessores diretos, salvando o mundo de um holocausto nuclear na crise dos mísseis instalados em Cuba.

É inegável o empenho e a dedicação daqueles homens públicos em evitar uma confrontação militar entre os Estados Unidos e a Rússia, que certamente abalaria o mundo de forma catastrófica. Alguém mais afoito poderia ter visto nisso o desvendamento do Terceiro Segredo de Fátima, visto que a versão tornada pública oficialmente, sobre a mensagem recebida por três crianças portuguesas em 1917, manuscrita pela menina Lúcia e encaminhada às autoridades clericais, não foi satisfatoriamente recebida pelos estudiosos da matéria.

Pela versão apresentada o segredo referia-se ao atentado à bala, sofrido pelo papa João Paulo II, em 13 de maio de 1981 na Praça de São Pedro.

Treze de maio, Treze Dias. Foi em 13 de maio de 1917 a aparição inicial da misericordiosa às três crianças pastoreiras para receberem uma mensagem que deveria ser retransmitida a todos os seres humanos, para que, conhecendo as profecias sinistras, retirassem das religiões as teorias introduzidas pelos humanos, restaurando a Verdade eterna de Deus, como meio de evitar as catástrofes decorrentes da maneira errada de viver afastada das leis espirituais da Criação.

É bem sugestiva a indagação feita pelo interprete de Kennedy ao final do filme: “Que tipo de paz queremos para o planeta?”

A sociedade humana não se cansa de se auto-dilacerar, destruindo permanentemente as bases para uma existência pacífica e feliz, seja no plano pessoal ou mesmo entre as Nações. Os Kennedy lutaram contra a hecatombe nuclear. O cenário político-militar acalmou-se. Misteriosamente os Kennedy foram mortos logo depois. Com a continuidade do governo Kennedy o mundo hoje estaria melhor ou pior? Melhor não sabemos, mas pior do que estamos talvez nem tanto, posto que estamos próximos ao limite crítico em quase todos os setores da vida humana e do meio ambiente.

As profecias de Fátima atemorizaram os seres humanos sobre a possibilidade de uma hecatombe nuclear. Com a decadência da Rússia e a grande projeção militar e econômica dos Estados Unidos, os receios de uma conflagração geral foram atenuados, embora nunca tenha havido plena paz no planeta. Sempre, em algum recanto, os humanos promovem alguma guerra, matando-se mutuamente, espalhando destruição e sofrimento.

O acontecimento da transmissão da mensagem de Fátima não se verificou de uma só vez. No dia 13 de outubro de 1917, data da última aparição, ocorreu um fenômeno nunca visto: "O sol começou a rodar. Milhares de pessoas em Portugal observaram esse inexplicável acontecimento que mais tarde foi chamado o “milagre do sol”. (O Livro do Juízo Final, de Roselis von Sass). Por que então a Mensagem ficaria guardada como grande segredo?

A versão dada para o Terceiro Segredo de Fátima, não foi bem aceita pelos círculos de maior visão. Michael Bargent & Richard Leig, "consideram numerosos e generalizados os medos da Igreja, como se vivesse num verdadeiro estado de sítio. (Inquisição, Edit. Imago). Já, encetar uma mudança, atemoriza muito mais." O mundo moderno não aceita mais velhos postulados que contrariam as leis naturais.

Já adentramos ao século 21, e como é costume, os seres humanos já baixaram a guarda. Se tudo está muito difícil, as pessoas procuram algum lenitivo, seja em divertimentos ou na observação das desgraças alheias. As elites mundiais raciocinam em termos de meios e possibilidades e concluem que não há com o que se preocupar, embora em Seatle e Genova, surgiram amostras de uma revolta reprimida contra o atual estado de coisas. No Oriente Médio raciocina-se que a violência pode aumentar, mas está sob controle. Enquanto isso, as sombras de uma recessão econômica mundial, se vão adensando.

Se os especialistas agora estão descobrindo que o dólar está super valorizado em relação ao euro e iene, num momento de contração da demanda, e que os Estados Unidos precisam depreciá-lo para exportar mais e dar impulso a sua economia, que efeito isso terá sobre a Europa e o Japão? E sobre o mercado financeiro global? Trata-se de uma análise difícil e complexa pois envolve economia, finanças e a atitude de governantes, governados e especuladores. Mas como e por que o dólar ficou sobre-valorizado por período tão longo? Como se procederá a sua depreciação? Aguardemos o que dirão os especialistas.

Ora, o que mais perigoso poderá ocorrer, será o fantasma de uma pavorosa recessão econômica, mesclada com protecionismo comercial e conflitos religiosos, incrementados pelo fanatismo e pelo ódio. Trata-se de uma situação que poderá se tornar grave e perigosa. Será que o Terceiro Segredo apontava para isso também, recomendando o retorno à Verdade como meio de eliminar as cisões e restabelecer a paz entre os homens que se orientarem pela Vontade de Deus? Enquanto não alcançarmos essa forma de paz, nenhuma outra conseguirá ser duradoura no planeta.