BRASIL, O PARAÍSO DE CABRAL

BRASIL, O PARAÍSO DE CABRAL
(29/01/2004)

Em Nova York os brasileiros ganharam o carinhoso apelido de “brazucas”, face a sua estrepitosa alegria que os têm destacado como o grupo de turistas mais sorridentes em visita à América do Norte.

Qual é o segredo? Para responder convém voltar ao passado. Em 1500, quando chegaram ao Brasil, Cabral e sua tripulação, perceberam que estavam num lugar especial, a sensação era de estarem se aproximando do paraíso, face ao precioso conjunto de cores e sons de indescritível beleza e alegria.

imagem

No livro “Revelações Inéditas da História do Brasil, Roselis Von Sass escreveu: “A sensação que tenho, disse Cabral, é como se estivéssemos tocando em porto já bem conhecido de uma terra natal! João Matias, o astrônomo da frota, acenou com a cabeça, concordando que exatamente isso era o que também vinha sentindo. O mesmo estranho efeito dominava parte da tripulação. Dessa maneira nem Cabral nem João Matias poderiam recriminar o fato de alguns de seus homens, que já tinham atado relações com os indígenas, terem deixado de retornar a bordo, ao levantar dos ferros, para a continuação da viagem”. Segundo a escritora, a denominação Brasil, no sentido da Luz, quer dizer: terra virgem, terra imaculada.

O Brasil logo foi percebido como sendo uma região que convidava à paz e à felicidade, sem o pesadume que rondava pela velha Europa dominada pelos conflitos religiosos e pela sede de ouro.

No ano de 1938, Francisco Candido Xavier lançava a primeira edição do livro “Brasil Coração do Mundo”, no qual são ressaltadas as prodigiosas qualidades do Brasil que apaixonam os estudiosos. “Nas paisagens suntuosas e inéditas, onde o calor suave dos trópicos alimenta e perfuma todas as coisas, há sempre um traço de beleza e de originalidade empolgando o espírito do viajor sedento de emoções”.

A espontânea alegria do brasileiro atrai os olhares. La fora nossos filmes são apreciados porque o público gosta de ver a fisionomia alegre dos interpretes, posto que atualmente a multimídia tem explorado intensamente o mundo cão, a miséria humana produzida pelas criaturas que pelas suas capacitações deveriam ter produzido tão somente beleza e alegria no maravilhoso planeta que receberam como morada.

A criatividade brasileira se origina de uma reduzida sobra de conexão intuitiva, que tem sido mantida pela simplicidade de um povo que reconhece a existência de um Criador Todo Poderoso, sem se prender aos artifícios intelectivos que despertam a mania de grandeza e a violência na cabeça das pessoas que enaltecem o raciocínio em detrimento do espiritual, afastando-se da intuição.

Essa qualidade tem feito do brasileiro uma criatura extraordinária, amante da paz e da alegria. A turma do “deixa disso”, pois brigas e guerras não valem a pena. No Brasil convivem em paz, povos de todas as origens e de todas as religiões. É um país abençoado, cantado em prosa e em versos.

A alegria, a criatividade, o anseio de evoluir e ser feliz, não podem ser jogados fora, pois constituem o que há de melhor no coração brasileiro. Agora mais do que nunca, o brasileiro precisa utilizar-se de todas as suas qualidades para não decair na vala comum dos seres humanos indolentes e robotizados que estão perdendo o interesse pela vida, aumentando as estatísticas de suicídios nos países desenvolvidos.

Lamentavelmente, o Brasil não tem recebido os devidos cuidados para se tornar o lar de verdadeiros seres humanos em busca da harmonia e da real evolução humana, ao encontro da felicidade. A terra virgem tem sido manchada pela cobiça e irresponsabilidade, que atraíram a infelicidade para esta região também, como ocorre em outras partes do mundo.

Não podemos permitir que as especiais qualificações da população caiam no vazio. Porém, as últimas décadas têm trazido muitas asperezas para este povo que ainda não foi capaz de reconhecer devidamente as dádivas recebidas, pois se tivesse, teria tido governantes que não teriam permitido que decaíssemos tanto em termos de qualidade de vida e qualidade humana. Agora, se não houver um esforço conjunto, da iniciativa privada e do poder público, no sentido da elevação humana, nosso futuro certamente se tornará muito sombrio, com reduzidas possibilidade de uma real evolução, apesar das grandes capacitações com que o País foi dotado.