INTUIÇÃO,ONDE E COMO ENCONTRÁ-LA?

INTUIÇÃO,ONDE E COMO ENCONTRÁ-LA?
(16/02/2004)

Ultimamente tem surgido um movimento de resgate da intuição. Muitas pessoas estão buscando o saber intuitivo para resolver problemas profissionais, familiares ou simplesmente para encontrar soluções lucrativas.

Na verdade, a intuição tem um alcance muito mais profundo. Ela é destinada a auxiliar o ser humano em toda a sua vida, e a sua finalidade é possibilitar uma evolução humana integral. Lamentavelmente os canais para a recepção da intuição estão obstruídos. A fonte receptora está enfraquecida. Mas de onde provem a intuição?

Segundo o livro de Milton Fischer, Edit. Nobel, 1989 , intuição é saber algo sem se estar cônscio disso. É um conhecimento que parece chegar até nós sem sabermos de onde provém; uma percepção súbita, um insight sem uma evidência lógica. Esse conhecimento não pode ser registrado, mas é real – desde a sombra indefinida de uma sensação até ao clarão da compreensão! O homem primitivo tinha única e exclusivamente seus sentidos e sua mente intuitiva não-verbal para alertá-lo em caso de perigo. Esse sistema intuitivo permanece como uma força residual em todos nós. (Milton Fisher, Intuição, Nobel, 1989)

Para Patrícia Eisten, a intuição pode ser o maior recurso ao alcance dos seres humanos, uma capacidade natural para perceber muito além dos cinco sentidos e simplesmente da lógica. Esse reservatório espantosamente rico, uma vez aberto é capaz de conferir uma profunda entrevisão, conhecimento e inspiração, para orientar cada setor da vida. (Patrícia Eistein, Intuição, Cultrix)

Quanto mais os seres humanos passaram a se utilizar das habilidades do raciocínio, mais eles foram se distanciando da intuição, pois ficaram lisonjeados com a capacidade do cérebro de examinar as evidencias concretas. Mas muitos perderam a capacidade de orientar as próprias vidas.

Muitos se envergonham de dizer que alguma vez empregaram o lampejo intuitivo. Outros não vacilam em ridicularizar aqueles que declaram ter feito uso da intuição.

Como encontrar orientação, sentido e objetivo na vida? Como cultivar a intuição? Para muitas pessoas intuição é um bicho feio que elas preferem ignorar. A intuição pode vir num lampejo de inspiração. É aíque o raciocínio deve entrar para planejar a ação, executar a vontade intuitiva.

O intelecto se confronta com a intuição, se não mantivermos uma firme disposição, ele acaba destruindo o insight intuitivo, minando-o com duvidas e desconfianças.

Para os estudiosos a informação intuitiva é dirigida para o lado direito do cérebro. Mas de onde provem a intuição? Como funciona? Qual o papel do cérebro?

Quando queremos resolver nossos problemas apenas com o uso do raciocínio, logo ficamos desapontados pois percebemos o quanto ele é limitado, isso nos deprime, alguns se revoltam. É indispensável que tenhamos serenidade, confiança nas leis da Criação e saibamos esperar.

Faça o que pode, depois relaxe, vá descansar. Cada novo dia nos traz novas soluções que a intuição nos vai mostrando. Algumas pessoas que não se deixaram dominar de todo pelo intelecto, e que por isso mesmo ainda conservam alguma capacidade intuitiva, por vezes vislumbram idéias com tanta clareza que ao falarem demonstram tanta firmeza e convicção que para muitos se afigura como ousadia ou impertinência, porque as suas palavras são tão penetrantes que extravasam qualquer limitação, indo direto ao âmago do problema sem maiores rodeios ou delongas.

Isso não é astúcia intelectiva ou simples agilidade mental, é muito mais, é produto da intuição.

A intuição atua como ponte de ligação com a experiência inconsciente contida na alma e fora do alcance do cérebro do raciocínio, destinado a atuar voltado para o mundo exterior, ligado ao espaço e tempo. Ela também possibilita auxílios na forma de avisos e advertências.

imagem
“Cada intuição forma imediatamente uma imagem. Nessa formação de imagem participa o cerebelo, que deve ser a ponte da alma para domínio do corpo. É aquela parte do cérebro que vos transmite o sonho. Essa parte se acha por sua vez em ligação com o cérebro anterior, de cuja atividade se originam os pensamentos, mais ligados ao espaço e ao tempo, e dos quais, por fim, é composto o raciocínio.” (Na Luz da Verdade, a Mensagem do Graal, de Abdruschin, dissertação: Intuição).

A Mensagem do Graal, esclarece que deve se atentar para não sejam confundidas imagens da intuição, com sentimento que é gerado pelo cérebro anterior, ao atuarem seus pensamentos nos nervos do corpo, que irradiando retroativamente obrigam ao cérebro anterior o estimulo da assim chamada fantasia.

Freqüentemente confunde-se intuição com fantasia, devaneios, ou idéias que se fixam no cérebro. A fantasia, como produto do cérebro, pode criar imagens muito perturbadoras, capazes de abalar a serenidade, provocando inquietação.

“Nas imagens da intuição, que é a atividade do cerebelo, como ponte para o espírito, surge primeiro a imagem imediatamente, e só depois se transforma em pensamentos, pelo que então a vida sensitiva do corpo fica influenciada pelos pensamentos. No entanto, nas imagens geradas pelo cérebro anterior dá-se o contrario. Aíos pensamentos têm que anteceder, a fim de estabelecerem as bases das imagens.”

Como fortalecer a intuição, debilitada pelo fortalecimento unilateral do cérebro do raciocínio?

Meditar e examinar atentamente nossos pensamentos, palavras e ações, já é um começo. Se isso for feito em contacto com a natureza, então aos poucos o eu interior irá se fortalecendo fazendo um contra-ponto de equilíbrio com o cérebro superdesenvolvido.

Segundo a Mensagem do Graal, somente quando os seres humanos readquirirem o natural equilíbrio entre a atividade do cerebelo e do raciocínio é que estarão aptos a cumprir o seu real papel, ser um beneficiador da Criação e transmissor de luz para toda a criatura!