Posts

MANTENHA A SERENIDADE

Uma reflexão sobre o momento atual

A maioria das pessoas que vive no Brasil sente que a situação atual está insuportável, difícil de engolir. Não dá para ficar vendo as notícias, porque a imprensa impõe uma comunicação forte que gera medo e pânico. A internet, por sua vez, nos traz uma quantidade enorme de opiniões favoráveis e desfavoráveis sobre os assuntos atuais. Em toda essa enxurrada de informações não se sabe exatamente o que é verdade ou o que são mentiras misturadas com verdades, e muita desconfiança perturbadora é lançada. Assim, a maioria das pessoas se sente empurrada de um lado para o outro até perder o controle e ficar agressiva e raivosa, brigando, agindo impulsivamente de forma desastrosa. Então, vamos nos acalmar gerando pensamentos positivos, voltados para o bem, sem ódio.

Em vez de subir por meio da escada da evolução, os seres humanos estão descendo e a cada degrau que descem, mais baixarias e decisões inescrupulosas vão surgindo. Dessa forma, tudo vai regredindo, eliminando a compostura ética e moral, mas lá embaixo o abismo é grande e sem volta. Parece que não se trata só de pandemia. Algo mais grave está no ar e nada podemos fazer contra essa onda avassaladora que se precipita sobre a humanidade. É a grande colheita de tudo que a humanidade semeou. Temos de aguardar os acontecimentos com serenidade, semeando o bem.

Por milênios, sempre foi concedido aos seres humanos a visão correta da Criação através de pessoas inspiradas e guiadas para transmitir ensinamentos adequados ao povo e à época em que viveram como: Krishna, Zoraster, Buddha, Lao Tsé; mas suas palavras acabaram sendo esquecidas ou distorcidas com o tempo por aqueles que se colocaram como donos do saber para dominar.

A humanidade afundava de forma autodestrutiva. O Criador enviou uma parte de Si, Jesus o Amor de Deus. Se mantidas como foram originalmente pronunciadas, todas as mensagens convergiriam para a doutrina do Criador trazida para a humanidade nos ensinamentos proferidos por Jesus, dos quais pouco restou do sentido original proferido, ficando a mensagem da Luz incompreendida e posta de lado, surgindo um culto à pessoa. A obra Na Luz da Verdade Mensagem do Graal, de Abdruschin, dá esclarecimentos a todas essas questões.

E cada vez mais a humanidade indolente se foi afastando da espiritualidade e suas leis universais, apegando-se ao perecível mundo material, empregando a força e a astúcia, desprezando a espiritualidade, a ética e a moral. Com isso, desenvolveu a ideia de que “os fins justificam os meios”, enaltecendo doutrinas materialistas como as de Maquiavel e Confúcio, empregando-as para alcançar suas cobiças, o que acabou gerando esta época confusa e caótica. Mas a Luz da Verdade continua brilhando para todos que a procurarem com sinceridade no coração.

As pessoas têm vivido voltadas unilateralmente para os aspectos materiais. “Preocupam-se com a comida, com a bebida, tratam de acumular quantidade maior ou menor de valores terrenos, esforçam-se por obter prazeres corporais e consideram quaisquer reflexões sobre coisas que não podem ver, como desperdício de tempo que, na opinião deles, poderia ser empregado muito melhor em recreio” (trecho da Mensagem do Graal). Estamos atravessando a era da aceleração que parece encurtar o tempo, acelerando as consequências das decisões dos seres humanos, e nada mais permanecerá oculto.

Qual é o sentido da vida para o corpo e a para alma? Quem sou eu? Por que nasci na Terra? Como tomar decisões acertadas sem conhecer o significado da vida e as leis que a regem? Somos hóspedes do planeta, a única espécie com livre arbítrio e raciocínio que age de forma errada e destrutiva tanto na parte física da sustentabilidade, como na psique humana através dos pensamentos e ações que se espalham pelo mundo, atraídos e atraindo a igual espécie.

A pandemia está quebrando a forma escarrapachada de viver. Os seres humanos se tornaram prisioneiros da ignorância e da mentira. A quarentena impede a continuidade da velha rotina, da forma de viver que o corpo e a mente haviam se habituado sem dar espaço ao espírito, aumentando e evidenciando o vazio interior. Povos antigos tinham a clara percepção que sem o anseio por algo mais elevado a vida terrena perde o seu valor. Em vez de ir progredindo naturalmente, esse anseio acabou sendo posto de lado na medida em que a humanidade se ligava mais estreitamente ao perecível mundo material. É preciso ter a coragem de despertar o anseio adormecido para o que é puro e elevado e, assim, caminhar pela maravilhosa Criação progredindo de forma vibrante e jubilosa.

* Benedicto Ismael Camargo Dutra é graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP, faz parte do Conselho de Administração do Hotel Transamerica Berrini, e realiza palestras sobre temas ligados à qualidade de vida. Coordena os sites www.vidaeaprendizado.com.br e www.library.com.br. E-mail: bicdutra@library.com.br

A SEMENTE ESPIRITUAL

O que é a semente espiritual? É o espírito dotado naturalmente do impulso para adquirir autoconsciência, mas que precisa do solo adequado para o seu desenvolvimento. Nasceram os seres humanos na Terra, com suas raízes no espiritual para de lá captar a energia e aplicá-la no beneficiamento de tudo e evoluir. O espírito deveria permanecer forte e progredir nas vivências, mas acabou se deixando dominar pelo intelecto.

Com o raciocínio se tornando mais forte do que a intuição, as raízes do alto foram secando e se alojando no solo perecível do mundo material. Preso à Terra o ser humano deixou de haurir a energia espiritual e foi adoecendo e contaminando tudo.

Para subsistir e subir os degraus da escada que eleva, terá agora de fazer todo esforço que puder para recuperar as raízes destruídas, mas isso somente será possível para aqueles que buscarem o verdadeiro saber da vida e das leis que regem a Criação, pois elas encerram a Vontade do Criador.

PARA REFLETIR COM SERIEDADE

As mudanças climáticas e outras alterações da natureza são grande ameaça para a espécie humana, principalmente por não ter como contornar graves eventos em andamento. Mas há uma grave ameaça pouco reconhecida e estudada: são as mudanças de comportamento que estão afetando as novas gerações. Das inspirações mais elevadas, decaímos no sentimentalismo, e agora nem isso é dado a ver, só fantasias embrutecidas geradas por cérebros mecanizados que estão perdendo calor humano.

Em 1889 tinha início no Brasil o sistema republicano de governo que deveria ter erguido a nação, mas regredimos com o mundo. No século 20, tivemos duas guerras; nos anos 50 ainda havia a comoção e a busca sincera do aprimoramento humano e melhora geral em paz. Durou pouco, logo se instalou a busca geral por prazer e o ser humano foi encolhendo em sua estatura, ocorrendo o mesmo com o Brasil ainda de forma mais ostensiva. No conjunto geral também podemos dizer que vivemos num planeta onde tudo que é benéfico para a vida sofre ataques destrutivos.

Diante dos imensos problemas que atingem a humanidade, o século 21 exigiria um estudo sobre a decadência da espécie que deveria evoluir e beneficiar o planeta: causas, efeitos, e soluções para deter o declínio continuado. Na medida em que o século vai avançando, os seres humanos deveriam sentir cada vez mais atração pela espiritualidade, mas isso não está ocorrendo devido aos pendores pelos prazeres terrenos, vaidades e cobiças.

Faltam na civilização: educação, compreensão do funcionamento e respeito à natureza e suas leis, assegurar a liberdade e a responsabilidade, trabalho para uma existência condigna que conduza ao aprimoramento da espécie. A classe política perdeu dignidade. Surgiu o esforço para a globalização ampla e irrestrita, mas o que se constatou foi a decadência geral da humanidade, a qual esqueceu que é responsável por gerar filhos e que deve dar a eles qualidades nobres para impedir o retrocesso.

Está tudo tão decadente nos filmes, na televisão, com as mais bizarras cenas em qualquer horário, que as crianças vão crescendo achando tudo certo e normal, por mais absurdo que possa parecer. Homens e mulheres têm o direito de se vestir como quiserem na sua vida pessoal. Mas se for professor ou representante público, em sua atividade específica, que modelo deve oferecer aos jovens?

O declínio no bom preparo das novas gerações e o desconhecimento das leis da natureza comprometem o futuro da humanidade e do planeta. A decadência geral avança com a disseminação de maus hábitos. A vida se tornou uma rotina imbecilizante e as novas gerações tendem a agir como robôs, sem individualidade, comportando-se como meros complementos das máquinas.

Como preparar os jovens para a vida? Desde cedo as crianças devem ser orientadas para a importância do aprendizado, do trabalho e da busca do significado da vida. Quem somos nós? O que é o planeta onde vivemos? Como ele possibilita a vida? Tudo segue o ritmo das leis da Criação. O apagão mental aumenta. Quem lê, pensa e raciocina com mais clareza.

Há tanto dinheiro estocado e tantas coisas que precisam ser feitas para que a Terra recupere a sua hospitalidade dando à maioria das cidades condições gerais de vida adequadas, mas o dinheiro criado pelo homem, com papel e tinta, adquiriu vida própria e por sua posse são cometidos crimes e delitos, assassinatos e guerras, enquanto se permite a continuada decadência da espécie humana. A economia deveria ser a ciência do progresso, mas se tornou um cassino onde as moedas passaram a ser o foco de apostas especulativas. Há algo errado nesse mercado, mas faltam estudos que definam os rumos da economia real.

A vida é uma passagem rápida e o que se leva para o além são as experiências e as vivências. Trata-se de uma permanência transitória neste perecível mundo material, para que a semente espiritual germine e se desenvolva para retornar fortalecida para a origem. Mesmo acontecimentos abaladores não conseguem adentrar profundamente na alma para que o ser humano busque a compressão do significado da vida e se torne um ser humano de valor, que busque a Luz da Verdade em cada acontecimento.

* Benedicto Ismael Camargo Dutra é graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP, faz parte do Conselho de Administração do Hotel Transamerica Berrini, é articulista colaborador de jornais e realiza palestras sobre temas ligados à qualidade de vida. Coordena os sites www.vidaeaprendizado.com.br e www.library.com.br. É autor dos livros: “Nola – o manuscrito que abalou o mundo”;“2012…e depois?”;“Desenvolvimento Humano”; “O Homem Sábio e os Jovens”; “A trajetória do ser humano na Terra – em busca da verdade e da felicidade”; e “O segredo de Darwin – Uma aventura em busca da origem da vida”(Madras Editora). E-mail: bicdutra@library.com.br; Twitter: @bidutra7