Posts

O TEMPO ESTÁ ENCURTANDO

A Terra, a estrela dos seres humanos, é onde tinham um tempo determinado para evoluir espiritualmente. Mas foram sufocando a sua essência, perdendo a generosidade e a consideração para com o próximo, destruindo o planeta em vez de embelezá-lo. As pessoas se deixaram envolver pela indolência.

Tudo está contaminado há séculos, dando a falsidades a aparência de ser verdade, seja buscando conteúdos “antes, ou depois de 2020”, período em que começaram a ocorrer mudanças. As aparências vão mudando e segurando a atenção, mas percebe-se que há algo em formação. Muitas pessoas falam de Jesus, mas é muito difícil falar Dele, pois sua essência provém do divinal, enquanto a criatura humana é espírito cuja vida tem por finalidade alcançar a evolução. Para viver na Terra é necessário um corpo. Para receber um corpo é necessário pai e mãe. São as incontornáveis leis da Criação.

O tempo disponível se torna cada vez mais curto. O que fazer com o contingente humano que habita a Terra? Como mantê-lo ocupado para que não crie confusão? Com a Inteligência Artificial pretendem estabelecer o poder geral unificado transformando o ser humano em coisa, mas de forma invisível, a Inteligência Natural, movida pelas leis cósmicas, com os ingredientes fornecidos pelas ações da humanidade, vai preparando a grande colheita, a separação do joio do trigo.

Compreender o que está se passando no planeta exige o abandono dos desgastados conceitos sobre o significado da vida. A lei cósmica é simples: nossos atos são sementes que obrigam à colheita futura. No alvorecer do século 21, as leis cósmicas estão acelerando a colheita, pois o tempo está no limite. Isso implica em que milhões de seres humanos tenham de voltar para a Terra num novo corpo, no ambiente áspero que cultivaram, como oportunidade para nova semeadura que produza melhores frutos e possam tirar o pé da lama.

Há um agravamento progressivo das condições de vida na Terra, mas os homens permanecem procurando ouro. Tivemos a pandemia, a guerra entre Rússia e Ucrânia. Em seguida a guerra no oriente médio iniciada com o ataque terrorista a Israel, que gerou uma troca de chumbo com o Irã, e não se sabe até onde isso vai.

As mesquinhas questões da humanidade em sua arrogância e cobiças se tornam mais complicadas ainda desde que a alma foi posta na inatividade, levando à sua irrestrita subordinação ao intelecto. Foram milênios de decadência e devassidão sem que houvesse uma guinada para a espiritualidade, ampliando o sofrimento e a miséria. As trombetas clamam pela justiça das leis divinas.

Assim são os fenômenos naturais, tudo vai acontecendo de forma progressiva para fins determinados. Tudo se acha interligado. A finalidade primordial é a evolução espiritual dos seres humanos de forma consciente, para isso receberam o livre arbítrio, para decidirem por si seguir as leis naturais da Criação que representam a Vontade de Deus, “seja feita a vossa Vontade”. É como se estivessem em cima do muro, de um lado há jardins iluminados e sabedoria, do outro, atraentes prazeres obscuros. Cada ser humano tem o poder de decidir por si o caminho que quer seguir.

Há zilhões em dinheiro no estoque monetário, mas os preços seguem aumentando. O planeta Terra se acha em fase danosa de pobreza e miséria devido às cobiças e ao apego ao materialismo. Isso nos leva a ampliar a forma de pensar. Durante milênios a humanidade desdenhou da paz e não se empenhou em formar um ambiente propício ao progresso real e à evolução espiritual, o que teria levado a um inimaginado progresso material. Há milênios a verdade vem sendo ocultada para desviar os seres humanos da real finalidade da vida. Hoje poucos a procuram. O tempo vai encurtando. Procurai e achareis o caminho que eleva a espécie humana ao ponto em que deveria estar.

*Benedicto Ismael Camargo Dutra, graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP. Coordena os sites www.vidaeaprendizado.com.br e www.library.com.br/home . E-mail: bicdutra@library.com.br

ESQUERDA OU DIREITA?

O ano de 2020 passou, mas deixou fortes marcas no viver dos seres humanos. A mais sensível dessas marcas foi a sensação de insegurança, as incertezas sobre o amanhã. A questão da boa formação dos adolescentes está a exigir providências que combatam o desalento e o isolamento que os mantêm num viver confuso, sem rumo. Mais do que no passado, as pessoas estão vendo a vida e o mundo (a Criação) sem analisar seus significados. Falta a visão cósmica, falta a reflexão intuitiva com o eu interior. O que é o mundo, a Criação? O que é a vida? Para o sistema, a meta tem sido ampliar o consumismo, aumentando o vazio interior.

A humanidade tem seguido por caminhos por ela construídos, mas com a inclusão de erros, não conduzem para o Alto. Aqueles mais atentos percebem as falhas e procuram respostas. Nesse meio surgiu com força uma cultura antagônica que agride o que restou da sabedoria antiga, abrindo caminhos que embrutecem o ser humano, solapando as bases frágeis, deixando um vazio na mente, tornando-a susceptível para ser moldada e manipulada, inclusive para votar, o que vem ocorrendo em larga escala através dos diversos meios de comunicação. Confusos, têm de fazer o máximo esforço para sair das sombras e encontrar o caminho que eleva.

Muitas pessoas já não sabem o que é a vida e a Criação, pois a sua visão de mundo foi deturpada. Sem resistência, acatam tudo que é mostrado através da comunicação de massa, que, com muita habilidade, vai direto ao centro nervoso, conduzindo a percepção exatamente como foi planejada a manipulação mental. Há um processo de transformação em andamento que não sabemos até onde vai; por outro lado, as catástrofes da natureza também chamam a atenção, pois estão se apresentando de forma mais áspera.

As novas gerações com fácil acesso à Internet agem de outra forma, dificultando o relacionamento com os mais velhos. O pensamento produz energia, boa ou má, e irradia o real. Quando uma pessoa fala com a intenção de bajular, a intuição da outra pessoa sente um desconforto; é a falta de sinceridade. Pensamentos atraem a igual espécie, portanto pensamentos confusos não atraem clareza.

A situação das escolas no Brasil é crítica. Tudo favorece o atraso das novas gerações. Quando não são os alunos, são os professores que fazem greves. Como falava um empresário brasileiro: se o governo não atrapalhar, o Brasil cresce e todos poderão ir à pizzaria aos domingos. Esse empresário ia bem, mas nos anos 1990 teve de fechar a fábrica.

A chamada luta de classes está superada. O que está pegando é a acentuada desigualdade na renda. Os preços sobem, o salário não acompanha. Se uma pessoa quiser pagar tudo com dinheiro, tem de levar um montão porque os preços estão altos. Vai daí que o pix e o cartão de crédito são largamente utilizados.

A humanidade está doente e não está procurando o remédio para a crescente aflição. Com seu apego aos prazeres materiais foi deixando as reflexões para depois e as consequências foram chegando de leve. Muitos passaram a abandonar os livros; outros gastam um tempo enorme vendo nas telinhas bobagens que nada acrescentam, e sua capacidade e analisar vai encolhendo.

Está na moda a palavra “polarização”. Esquerda, dita progressista, e Direita, dita conservadora. Que progresso é esse que o homem vem propalando há séculos, mas o que se observa é a contínua decadência? Na verdade, muito do que existe hoje resulta da indolência espiritual e da cobiça por riqueza e poder. Como sempre deveria ter sido, a humanidade deveria estar na categoria do “evolutivismo”, ou seja, na busca contínua do aprimoramento, seguindo a trajetória do progresso real em meio à paz criada pelos homens de boa vontade.

*Benedicto Ismael Camargo Dutra, graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP. Coordena os sites www.vidaeaprendizado.com.br e www.library.com.br/home . E-mail: bicdutra@library.com.br

A PODEROSA NATUREZA

O dinheiro é um vírus que corrompe tudo e quando a pessoa se “infecta”, dificilmente se livra.

O planeta Terra é a grande hospedaria destinada à evolução espiritual. Os homens querem riqueza e poder. O Estado-nação foi travado pelas ambições pessoais e ameaça ruir. A China, com sua reserva em dólares conquistada com as exportações, tem caixa único e controle. Agora procura ativos rentáveis que possam conservar e ampliar a reserva, enquanto os EUA, envolvidos em guerras, acumulou dívidas e precisa emitir moeda, comprometendo o dólar. Se a finalidade do planeta tivesse sido seguida, a situação mundial seria amena e pacífica.

Acabou a preocupação, cada um está fazendo o que quer como pode. A licenciosidade sexual posta em prática desde a infância está afetando a maioria dos jovens que se sentem perdidos, sem rumo, pois não receberam a correta educação e não conseguem estabelecer propósitos de vida enobrecedores para seguir em frente como seres humanos de qualidade, fortes, corajosos, autoconfiantes. Está faltando naturalidade em tudo. Vamos torcer pelo aprimoramento da espécie humana.

Todo mundo precisa abrir o olho para o mundo. As massas se acomodaram. O excesso de circo e pão imbeciliza. Os problemas se acumularam. A casta governante foi deixando para depois, e foi perdendo a credibilidade. O futuro está chegando, trazendo o acúmulo dos erros da humanidade que se aferrou ao mundo material, deixando de lado o espiritual. Os acontecimentos dramáticos dão ensejo para refletir sobre a vida e seu significado. O que somos nós?

Os homens querem poder; a sua lógica é a do imediatismo para continuarem se beneficiando. Cada povo e cada nação deveriam estar construindo e melhorando as condições de vida, promovendo evolução e convivência pacífica. O comércio deveria ser complementar entre as nações, mas o egoísmo criou a geoeconomia, o monopólio dos recursos naturais, o mercantilismo, o que requer armas para os países se imporem. O Ocidente fechou fábricas, perdeu o chão do aprendizado. No Brasil, a carga tributária está no limite, a economia não suporta aumentos. Os gastos não se reduzem. Seria importante fazer a economia e a produção crescerem, mas não está fácil.

No século 21, vão aparecendo as consequências do atuar da humanidade, nada mais é sagrado. Estamos perdendo a noção do significado da vida e não nos incomodamos se com nossas ações a destruirmos. A justiça da lei maior que deu origem à Criação alcançará a toda a humanidade.

Há uma sensação de desmanche, um desmoronar de amplitude, pois os povos perderam o rumo, se afastaram do real sentido da vida erigindo a civilização em bases artificiais. A produção de bens deveria estar direcionada para atender às necessidades dos seres humanos, mas o dinheiro e o poder são a prioridade. A produção se mantém estagnada, falta comida, mas o montante financeiro vai crescendo como bolha. São muitas variáveis interferindo. Atualmente a taxa de juros para o dólar é a preponderante

Mentiras são fabricadas para serem lançadas sobre o público. O ser humano se afastou daquilo que devia ser e criou o mundo das mentiras. Em geral o viver passou a ser artificial. Os indivíduos agem como se estivessem interpretando um papel, mas a espécie humana caminha para baixo. As novas gerações deveriam avançar mais do que as anteriores, mas por que estão retrocedendo? Com a velocidade da luz chegam à Terra as aumentadas descargas de energia lançadas pelo sol. Grandiosa e poderosa é a natureza. É nela que foi depositado tudo que a humanidade necessita para sua sobrevivência. Os homens não a compreendem, não a preservam. As consequências estão surgindo. Perdido o sentido da vida, tudo se perde.

*Benedicto Ismael Camargo Dutra, graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP. Coordena os sites www.vidaeaprendizado.com.br e www.library.com.br/home . E-mail: bicdutra@library.com.br

OS JOVENS E O TRABALHO

A responsabilidade de gerar filhos é algo muito sério porque pai e mãe possibilitam a encarnação de uma alma para evoluir no mundo material, o aquém. Mas, o que está acontecendo com as novas gerações? Elas estão emburrecendo, pois abandonaram a leitura de bons livros, perderam a perseverança e a força de vontade. E pelo que se tem visto, muitos jovens, aptos a trabalhar, não manifestam muito interesse pela ideia. Por que será?

De zero a seis anos é a fase superimportante da educação, pois nesse momento se formam estruturas cerebrais e emocionais. Mas há muitas falhas porque poucas creches e pré-escolas estão capacitadas para formar a necessária base para as crianças se desenvolverem.

Os municípios estão quebrados, os servidores descontentes, os pais despreparados. No entanto, a falta de bom preparo das crianças com brincadeiras, contato com a natureza, livros de boas histórias infantis, criam entraves para que elas aprendam e vivam com alegria natural. O resultado são jovens inseguros, com dificuldades para aprender, que não conseguem ler, escrever nem fazer contas elementares.

Os moradores das grandes cidades, que possuem avenidas cheias de prédios, se afastaram da natureza e fizeram o mesmo com as crianças, esquecendo que estar na natureza desperta a alma. A massificação se espalhou pelo mundo atingindo primeiro, de forma certeira, os indolentes que têm preguiça para raciocinar; isso foi avançando pelas novas e velhas gerações, acabando com o que restava da reflexão intuitiva, aquela na qual a pessoa conversa com o eu interior para analisar as informações recebidas.

As pessoas precisam abrir os olhos. Porém, as massas se acomodaram. O excesso de circo imbeciliza. Os problemas se acumularam, sem soluções. A casta governante foi deixando para depois e perdendo a credibilidade. Um futuro ameaçador está chegando, trazendo o acúmulo dos erros da humanidade materialista que esqueceu do espírito. Os acontecimentos dramáticos deveriam dar ensejo para reflexões sobre a vida e seu significado, mas logo são esquecidos.

O excesso de chuvas provocou forte abalo na população do Rio Grande do Sul, o qual se estendeu pelo Brasil. Há uma pressão que deixa as pessoas inquietas e irritadas. É preciso cultivar serenidade para que possamos refletir sobre os acontecimentos graves que se abatem sobre a Terra e agir com confiança na Luz para que possamos superar essa fase difícil do mundo.

Os jovens devem ser aplicados nos estudos, não se limitando ao que o professor diz; ir além das apostilas, abrir os olhos, buscar leituras complementares, ver na prática como as coisas funcionam. Transformar tudo em aprendizado.

O trabalho faz parte da vida, assim como outras atividades, mas não o trabalho obsessivo de muitos indivíduos chamados de workaholics, isto é, viciados. Os jovens estão olhando para o trabalho de uma outra forma, despertando para algo mais. Inconscientemente podem estar se rebelando contra as rotinas que podem levar ao servilismo, que levam a apenas apertar os botões que põem os computadores em movimento, que por sua vez sugam a energia. Pensam numa forma de viver mais equilibrada com pausas para relaxar a mente.

O essencial é que os jovens percebam que são seres humanos de corpo e alma e não robôs, e que o corpo e a alma precisam ser alimentados e conservados para que possam viver bem. Alguns estudiosos tentam ampliar as noções sobre trabalho exercido não apenas com o cérebro racional, de forma que seja construtivo e beneficiador como deve ser a atuação do ser humano.

*Benedicto Ismael Camargo Dutra, graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP. Coordena os sites www.vidaeaprendizado.com.br e www.library.com.br/home . E-mail: bicdutra@library.com.br

AS TRANSFORMAÇÕES UNIVERSAIS QUE AFETAM A PAZ

A Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP) aprovou projeto proposto pelo governo estadual paulista para a criação de escola cívico-militar. “O Programa Escola Cívico-Militar visa melhorar a qualidade da educação no ensino fundamental, médio e profissional, por meio de um modelo de gestão de excelência nas áreas pedagógica e administrativa, além de atividades cívico-militares.” É uma iniciativa que poderá criar no estudante mais respeito pela escola e pelos professores.

Está surgindo uma tendência nefasta no preparo das novas gerações para a vida e o trabalho porque a educação básica não está apresentando resultados satisfatórios. Os jovens se mostram descontentes, insatisfeitos e, por outro lado, pouco se esforçam; grande parcela tem dificuldade para ler e escrever com clareza. Os professores vivem sob tensão. Se os alunos tivessem recebido educação não haveria essa vergonhosa necessidade de vigiar o comportamento violento nas escolas.

Os jovens estão virando robôs agressivos e mal-educados. Não dá para continuar assim. O sistema de educação básica está doente. É preciso que haja mudanças positivas. As crianças precisam do contato com a natureza e serem orientadas sobre como ela funciona, o que abrirá suas mentes para conhecimentos mais elevados. A natureza é a grande doadora para a humanidade.

No Brasil, há décadas, o fantasma da incompetência vem reduzindo a produção e com ela empregos, renda, consumo, melhora das condições gerais de vida e cidades mais hospitaleiras. A nação precisa de muitas coisas, especialmente a reconstrução do sul requer muitos itens e mão de obra. É preciso entender que está acontecendo uma mudança radical, o que exige ficar atento e buscar novos caminhos que reduzam custos e agilizem a solução sem tanta dependência de importados.

A nação está muito atrasada; o mais grave é o atraso no bom preparo das novas gerações, que estão involuindo. Tudo promove o atraso: a corrupção, o imediatismo político, TV e filmes, o embrutecimento sexual, as drogas. Se isso não for superado, não há nada mais a fazer. Estamos mal no bom preparo para a vida. Neste Brasil, onde nascem 48 bebês por hora de mães com idade inferior a 19 anos, vítimas de abuso sexual, são necessárias ações que façam a esperança renascer.

As massas são movimentadas de cá para lá por astuciosos programas de manipulação, e a indolência individual favorece os manipuladores. Nunca se ouviu falar de um programa de conscientização sobre a finalidade da vida e a origem do ser humano. O planeta Terra se acha sob o impacto das transformações universais; é o mundo manifestando a decepção com o comportamento da humanidade. Essa é a hora de se fazer as pazes e olhar para o Alto com atitude respeitosa. Mas em vez disso, os homens se rivalizam provocando conflitos quando deveriam estar se preparando para enfrentar a tormenta, buscando pôr em prática na Terra a meta de alcançar o aprimoramento da espécie humana, que tem agido de forma irresponsável como nenhuma outra espécie.

Estimativas de crescimento da população indicam 9,7 bilhões para 2050, mas o que está sendo feito para enfrentar esse aumento? A humanidade continua na direção de sempre: produzir para exportar, de preferência onde o custo seja o menor. Os consumidores são atraídos para comprar. Por trás disso há muitos problemas que precisam de solução, pois o declínio da espécie humana está em andamento.

Nem mesmo os mais chegados a Jesus compreenderam a profundidade das palavras do Mestre, por isso ele dizia que o Filho do Homem virá para mais uma vez explicar, aos que procuram, a Criação e a finalidade da vida.

Os hábitos estão mudando. Os consumidores estão limitando seus gastos com refeições fora de casa. Após 2020 tudo foi se modificando, frustrando as expectativas de que tudo voltaria a ser como antes da pandemia. Com os custos subindo e as receitas caindo, muitas coisas foram afetadas criando incertezas quanto ao futuro. As novas gerações vão se comportando de outra maneira, mas têm de procurar o jeito certo para dar espaço ao ser humano completo, com o espírito conduzindo as ações em conformidade com as leis naturais da Criação, e o intelecto planejando e executando essas necessárias ações.

*Benedicto Ismael Camargo Dutra, graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP. Coordena os sites www.vidaeaprendizado.com.br e www.library.com.br/home . E-mail: bicdutra@library.com.br

MENTES CADA VEZ MAIS ESTREITAS

O estreitamento mental vem de longe, começou com o cinema, passando pela TV e atingiu o clímax com o streaming. Estudantes têm dificuldades para ler e escrever textos simples. Mentes emburrecidas e embrutecidas podem ter afetado as novas gerações geneticamente, assim como aconteceu com o cérebro do raciocínio e com o cerebelo capacitado a captar as intuições oriundas de uma esfera com mais leveza. O ser humano tem de esforçar para obter a reversão dessa situação anômala.

O planeta Terra é a grande hospedaria, dotada de todos os recursos necessários, destinada à evolução espiritual. Cabe à espécie humana contribuir beneficiando e embelezado, mas os homens querem riqueza e poder. A vida é boa, a natureza é maravilhosa, e os seres humanos o que são? Criaram regulamentos para controlar tudo. Há uma transformação universal em andamento que nos obrigará a seguir as leis naturais da Criação. Em nossa era materialista não há reflexão; não há diálogo com o eu interior; não há intuição; já não há Criatividade, algo que surge do eu interior, a aplicação integral do ser que se manifesta mais fortemente nas artes. Distantes da voz interior, agora muitas pessoas estão puxando conversa com a Inteligência Artificial.

Na economia, apesar de uma dívida próxima a 80% do PIB, o Brasil ainda permanece em grande atraso geral, o que é agravado pelo declínio na educação. O mundo vive o drama da guerra monetária com anseios de partilha no poder do dólar. Os juros do FED mexem com tudo. O efeito colateral da taxa elevada de juros nos EUA é que aumenta a procura por dólares causando perdas nas outras moedas.

O que aconteceria se a moeda da China desvalorizasse 50%? As alíquotas alfandegárias aumentadas se tornariam sem efeito? Quer dizer, um dólar equivaleria em torno de 12 yuans, o que deixaria os produtos chineses mais baratos. A economista Christine Lagarde, atual presidente do BCE, fala que a economia mundial precisa ser reformulada. Aumentam as conversas sobre a adoção do dinheiro digital. Tudo parece lances de um jogo que estamos longe de entender.

Enfim, estamos diante da grande competição entre as nações desenvolvidas do ocidente e a China, que se tornou a fábrica do mundo e quer ampliar seu faturamento. Baixando os preços venderia mais? Pode ser que sim, mas com certeza criaria grandes danos para o esforço de renascimento industrial de algumas nações. Com tantas incertezas os consumidores estão mais disciplinados em seus gastos, mesmo porque com a desvalorização do dinheiro, estão comprando menos por conta da perda de poder aquisitivo.

Na Terra, o estreitamento é geral: crise econômica, alterações climáticas, risco de os alimentos produzidos não serem suficientes, guerras ao vivo nas TVs, juventude sem rumo. Figuradamente, estamos diante da colheita de todas as sementes que a humanidade lançou com seu modo de atuar, mas em festanças comendo e bebendo, se divertindo, logo tudo o que é desagradável é esquecido, sem que se perceba o que está se passando na Criação.

É necessário semear e cultivar as sementes do bem para amenizar a aspereza, para que surja a era do ser humano completo, com o espírito conduzindo as ações em conformidade com as leis da Criação, e o intelecto planejando e executando as necessárias ações.

*Benedicto Ismael Camargo Dutra, graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP. Coordena os sites www.vidaeaprendizado.com.br e www.library.com.br/home . E-mail: bicdutra@library.com.br

DIA DA EDUCAÇÃO

“A educação do homem começa no momento do seu nascimento; antes de falar, antes de entender, já se instrui.” Rousseau. “O homem não é nada além daquilo que a educação faz dele.” Immanuel Kant.

Foi somente há 24 anos que surgiu a ideia de criar o Dia da Educação, instituído em 28 de abril de 2000 durante o primeiro fórum mundial da educação, em Dakar, no Senegal. O objetivo era promover reflexões e discussões que contribuíssem para dar bom preparo para as novas gerações, o futuro da humanidade. Mas parece que estamos ficando distantes disso, pois todos os dias são dias para a educação.

A educação prepara os jovens para o mundo, por isso a participação dos professores é muito importante, e não apenas os que estão nas salas de aula, mas todos que exercem alguma influência sobre as crianças, pois são modelos. O importante é o que move esses indivíduos em suas vidas. Mas, atualmente, qual é a motivação do professor diante do desinteresse dos jovens que parecem estar sem propósitos e sem força de vontade?

O ser humano traz em si o anseio para entender a razão do viver. A educação deve formar verdadeiros indivíduos empenhados no próprio aprimoramento, cuja essência desperta para a ação construtiva e embelezadora. A decadência se torna inevitável quando a nossa essência deixa de ser cultivada e acaba se perdendo. A partir disso vão se abrindo abismos que sugam os anseios enobrecedores da juventude.

A ansiedade está se espalhando entre crianças e adultos. Muitas coisas estão mudando de forma rápida, não há rotinas tranquilas, tudo é urgente, o tempo vai escapando, os dias passando. O que se nota é que tudo está fora do lugar porque deixamos de dedicar um tempo para entender nosso papel na vida que passa ligeira. Para que nascemos? De onde viemos? Falta-nos fazer as perguntas certas que nos levem a obter respostas construtivas.

Direita versus Esquerda é um lamentável desvio da humanidade que deveria estar unida na melhora das condições de vida e do aprimoramento. O ser humano é criatura espiritual; somos peregrinos em busca da evolução que, devido às cobiças e vaidade, perdemos o rumo. Quão longe ainda estamos da verdade. Foram séculos de obediência cega. A verdade apresenta pontas afiadas, e a moda agora, no novo absolutismo que vai progredindo, é opor embaraços e resistências à verdade.

A finalidade prioritária da vida é a evolução espiritual, mas apegadas ao materialismo, as pessoas têm diferentes visões. Os Incas trabalhavam duro, deixaram estradas e cidades, alegravam-se caprichando no trabalho, não havia dinheiro, nem pobreza, mas com a chegada dos espanhóis tudo mudou.

E, atualmente, o que querem os jovens estudantes? Em meio a guerras e crises econômicas eles estão ficando sem saber como viver. A questão teve direcionamento errado e invertido, uma vez que os adultos procuraram se adaptar à forma de agir dos jovens, e em meio à rebeldia, muitas coisas boas estão se perdendo. Qual caminho seguir? Todos terão de se adaptar às leis da Criação para alcançar a paz e evolução, mas as trevas se opõem, fecham os caminhos e os indolentes aplaudem.

As novas gerações estão sendo conduzidas por programas de tarefas como se fossem robôs. Os sistemas são rígidos, apresentam o objetivo e o meio de realização. Assim não há envolvimento profundo, a execução fica sem compromisso, típico de uma sociedade enrijecida. A vida plena requer atuação de corpo e alma. O movimento ficou lento e vai empurrando tudo para baixo. É preciso ter força de vontade para não afundar, levantar a cabeça, sair da escuridão para enxergar o que está se passando no mundo. Abrir os olhos, olhar para o Alto para aproximar-se da Luz e achar o caminho para evoluir.

*Benedicto Ismael Camargo Dutra, graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP. Coordena os sites www.vidaeaprendizado.com.br e www.library.com.br/home . E-mail: bicdutra@library.com.br

O MUNDO EM CONVULSÃO

Pouco se fala sobre o Reino do Milênio, a esperada época de paz e alegria na Terra, seu significado e quando ocorrerá. O Livro do Apocalipse menciona, de forma passageira, o evento dos mil anos. Na obra Na Luz da Verdade Mensagem do Graal, Abdruschin escreve que “o ser humano se esqueceu do essencial. Ele não contou com a condição igualmente prometida, de que antes do reino de paz de mil anos, tudo tem de se tornar novo no Juízo! Esta é a condição básica indispensável para o novo reino. No solo existente até agora ele não pode ser levantado! Antes, tudo o que é velho tem de se tornar novo primeiro!”

Isso significa que não é algo que possa ser erigido pelos homens, nem por aqueles que se julgam donos do planeta. O mundo vive as consequências do querer errado dos seres humanos que, tomando forma, está levando ao descalabro, o que terá de ser sanado pela aumentada força das leis divinas da Criação, desencadeada pelo Filho do Homem, o Espírito Santo, a Vontade de Deus.

Estamos numa fase complicada e agitada. Os homens de Atlântida, os egípcios, os gregos, os romanos, não deixaram o espírito atuar desembaraçadamente, e suas edificações vazias desmoronaram devido à astuta atuação intelectiva, raciocínio frio e sem vida. A sociedade humana, nesta fase de dois mil anos, fundamentou-se em muitos ensinamentos contaminados por mentiras e falsidades, que agora mostram vestígios de oscilação nos alicerces.

As trevas querem impedir o avanço dos seres humanos para que não conheçam a verdade libertadora dos caminhos seguidos pelo querer errado que tem causado muitas desgraças, impedindo o progressivo desenvolvimento espiritual da humanidade. Na escuridão da guerra espiritual, é indispensável buscar a Luz da Verdade, a boia de salvação nesse agitado mar de acontecimentos impactantes que se sucedem velozmente. O colapso geral que se está desenvolvendo decorre da ausência do espírito nas decisões do homem.

Diariamente bilhões de seres humanos dizem: “Seja feita a vossa Vontade, assim na Terra como no Céu”, mas quem realmente conhece a Vontade Divina na Criação? Quem se esforça incansavelmente para reconhecê-la? Pois sem isso o ser humano permanece vazio, incapaz de produzir na Terra as benesses para as quais foi capacitado.

Cada nação deveria fazer fluir a sua economia em progresso, a bem de seu povo. Mas há a geopolítica, a guerra econômica, as cobiças por poder, os falsos estadistas que só pensam em como ganhar a próxima eleição, tudo criando situação de caos, ou seja, o querer errado vai gerando funestas consequências.

Insatisfação e emburrecimento são fatores que rebaixam a espécie humana. O apagão mental tende a aumentar. Alguém tem de ensinar alguma coisa sobre trabalho, sobre fazer coisas bem-feitas a esses jovens que ficam horas engatados no celular e pouco aprendem em casa e na escola. As dificuldades, a pressa, a ansiedade, o tempo curto suprime uma parte do bom senso. É uma questão muito séria que tem de colocar os gestores públicos à frente das dificuldades sem ficarem voltados prioritariamente para a conquista do poder.

Estamos vivendo tempos cruciais. As pessoas em geral têm de prestar muita atenção à sua voz interior e jamais agir sob impulso fora do controle. Não há tempo a perder, na nova era não haverá espaço para o querer errado em oposição às leis da Criação; tudo terá de se tornar novo, pois o querer errado não poderá ultrapassar a barreira do Reino do Milênio.

As castas dominantes, com seu poder e outros meios, submeteram as demais à submissão, gerando medo e ódio. A convulsão geral vai dando seus sinais. Insatisfação e revolta se espalham pelo mundo num ritual místico-religioso e comunista-terrorista, visando detonar a imperfeita estrutura social, acarretando destruição e caos, pois não aceitaram as leis básicas da vida que regem a Criação. Assim como não acolheram a genuína doutrina de Cristo, tampouco esperam pelo Filho do Homem, prometido por Jesus, para concluir a missão de esclarecimento sobre a Criação e suas leis divinas, desencadear o Juízo Final da humanidade e promover fortalecimento espiritual dos que procuram sinceramente.

*Benedicto Ismael Camargo Dutra, graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP. Coordena os sites www.vidaeaprendizado.com.br e www.library.com.br/home . E-mail: bicdutra@library.com.br

A IA E OS PERIGOS DA ROBOTIZAÇÃO

É importante fugir da robotização, pois ela reduz a amplitude do ser humano. Na verdade, é obrigação de cada um pôr em movimento todo o seu potencial: corpo, cérebro, intuição, raciocínio lúcido, mas lamentavelmente muitos se deixam estagnar num ponto qualquer pela falta do movimento contínuo. As mulheres são mais intuitivas, mas todos têm de se esforçar para ouvir o que a intuição diz, dando força a essa capacitação como meio para sempre evoluírem.

Atualmente, grande parte das atividades estão sendo esquematizadas e programadas nos mínimos detalhes, de tal forma que não há necessidade de muito desembaraço mental para executar as operações. Todavia, o desempenho deve ser com a atenção voltada para aquilo que a pessoa estiver fazendo, devendo ter interesse em saber como as coisas funcionam. Seja qual for a tarefa é preciso executá-la com foco.

Nas empresas o alto nível pode dizer: “aqui quem manda somos nós, não aceitamos quaisquer intervenções que não estejam de acordo com os nossos protocolos”. Se isso favorece a produtividade, por outro lado cerceia a participação da vontade e com certeza haverá a infelicidade geral e faltará vigor à organização, porque o pessoal se acomodou e aprendeu a só fazer o que lhe mandam sem adicionar vida naquilo que faz.

Antes tínhamos de fazer etapa por etapa necessitando, para isso, de amplo conhecimento. Hoje o computador permite que o programa execute tudo, bastando fornecer os dados, e assim o ser humano torna-se mero complemento da máquina. Para se contrapor a isso, os indivíduos devem buscar atividades que movimentem a sua mente e a sua intuição. Há jogos, filmes, livros os quais não podem ser esquecidos.

Com o advento da Inteligência Artificial é fundamental ler, examinar e refletir para não deixar que a intuição se apague, permitindo com isso ampliar o saber de forma a não cair em nefasto comodismo. E ainda permanecer atento ao próprio querer que parte do eu interior, estabelecendo propósitos, movimentando-se, observando a natureza, sua beleza e seu funcionamento. Os sistemas educacionais têm de atentar para isso introduzindo as adequadas mudanças, pois é imperioso colocar um basta na robotização do indivíduo que deve atuar vivamente, com todo o seu ser, em tudo que se dispuser a fazer, pois sem isso jamais será verdadeiro ser humano.

A humanidade têm de concentrar esforços na melhora das condições gerais de vida e ao mesmo tempo na promoção do próprio aprimoramento, pois só assim alcançará, através de uma economia equilibrada, um progresso real sustentável jamais alcançado e, com ele, a paz entre os povos.

*Benedicto Ismael Camargo Dutra, graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP. Coordena os sites www.vidaeaprendizado.com.br e www.library.com.br/home . E-mail: bicdutra@library.com.br

UMA ROTA PARA O EQUILÍBRIO

A Terra enfrenta o desequilíbrio geral. O lucro, colocado como a prioridade da vida, fez muitos estragos pelo mundo. Muita coisa está detonada. O ocidente controlou o dinheiro, e apesar da existência de vários grupos grandes, havia uma unidade. No Capitalismo de Estado com poder centralizado foi possível um direcionamento uniforme para alcançar superávit e acumular reservas. O resultado disso é muito dinheiro em caixa aprontando surpresas e instabilidade.

Como se explica o crescimento da China e outros asiáticos? O câmbio favorável, a mão de obra de menor custo, a taxa de juros? Que efeito isso provoca no ocidente? A indústria brasileira vem decaindo desde os anos 1980, evidenciando-se o achatamento da renda per capita que perdeu poder de compra. Qual a solução que poderia promover melhora na renda e nas condições gerais de vida?

O agravamento é evidente, criando desorientação geral. A Terra está em guerra e não se sabe para onde isso vai. Preocupantes são as incertezas quanto ao futuro e a instabilidade geral que estamos enfrentando, o que mexe com a cabeça das pessoas que, sem saber que rumo tomar, caem em dúvidas e no desânimo.

Não se ouve falar em um plano de bom senso para estabilização geral; tudo está em movimentação rápida e desordenada, sem definição. O que a máquina não pode fazer sozinha, ela usa o ser humano, o qual só pode fazer o que a máquina lhe permitir. Sem a participação da alma, o que podemos esperar do futuro?

O salário é fixo, mas os preços aumentam, assim como aumenta a dívida pública, e os governos gastam muito e querem mais dinheiro. A situação artificial dos preços das ações nas bolsas e a eventual ocorrência de calote poderão gerar crise grande. Neste ano teremos o “Superbowl” eleitoral. A escolha do mandatário para o próximo período em muitas nações. No Brasil, falta responsabilidade na gestão financeira pública. Haverá eleição em 5570 municípios, alguns deles com orçamento bilionário, o que representa muita tentação para grupos inescrupulosos.

Como dar boa formação para os eleitores de amanhã? Os jovens pouco leem. Que tipo de leitura está sendo oferecida na escola pública? O Ministério da Educação tem de selecionar livros que falem do enobrecimento do ser humano. Em 1890 surgiu o livro O Cortiço, de Aluísio Azevedo, citado em aula por alguns professores e considerado do tipo naturalista, mas foca no embrutecimento dos instintos sexuais e na forma degradante da luta pela sobrevivência dos personagens. A qualidade dos livros tem decaído ocorrendo o mesmo com os filmes. Algo lamentável. É o nível progredindo na direção inversa, para baixo, penetrando no cérebro dos jovens, arrastando tudo para a imundície.

Os governantes em geral são desmazelados com o dinheiro e as contas. A população em sua grande maioria não tem dinheiro, e o que consegue receber vai tudo embora no atendimento de necessidades essenciais ou supérfluas, refluindo para o centro de controle. Governos, Bancos e Bancos Centrais poderiam dar um rumo adequado para a economia, mas as guerras econômicas não deixam. Será que a eventual mudança de governo nos EUA poderia levar a uma nova rota para restabelecer o equilíbrio entre as nações com convivência pacífica e progresso real?

Falta sabedoria que poderia levar a um novo caminho que possibilitasse o reconhecimento das leis universais da Criação e o surgimento de equilíbrio entre as nações com convivência pacífica, qualidade de vida e evolução; mas a vaidade, orgulho, arrogância e cobiças mantêm o ser humano escravizado. Será que a melhora do mundo só será possível após a chegada do Apocalipse para devastar a obra sem coração?

*Benedicto Ismael Camargo Dutra, graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP. Coordena os sites www.vidaeaprendizado.com.br e www.library.com.br/home . E-mail: bicdutra@library.com.br