Posts

A TÃO SONHADA E NECESSÁRIA PAZ MUNDIAL

O querer e as ações moldam o futuro. Cuidar das finanças é essencial para todos: indivíduos, famílias, empresas e governo. A educação deve contribuir para formar seres humanos com sabedoria e bom senso e que pensem em assegurar a paz no presente e no futuro. Acontecimentos drásticos estão chamando a atenção sobre os rumos que estão sendo seguidos. Nos caminhos percorridos, as pessoas foram capazes de tudo, rebaixando suas essências.

Os juros americanos atraem dólares do mundo e das bolsas, desvalorizando ativos, enxugando a liquidez, baixando inflação, o que fortalece a moeda norte-americana, mas aumenta a dívida. Muitos comentaristas falam que a economia voou alto e que tem de abaixar, mas como será a aterrissagem? A segunda feira trágica de 1987 deu-se no mês de outubro. Em 2023, há muitos fantasmas assombrando a economia e a vida. Os políticos têm interesses que se contrapõem. Os comentaristas lançam dúvidas sem propor soluções, e assim o temor vai crescendo, jogando a população numa situação crítica e danosa, sem alvos enobrecedores.

O FED age para recuperação do dólar. Os políticos não atentam para a gravidade da situação. Não se olha para a amplitude da vida. Falta esperança na melhoria geral. Disse o Papa Francisco que o mundo está desmoronando, mas não é só no clima e na natureza e suas catástrofes; os alicerces morais vêm sendo corroídos há mais de setenta anos, e não se vê luz nesse túnel descendente. O planeta está se tornando ingovernável pela falta de seres humanos sábios.

Apesar do temor de recessão nos países desenvolvidos nas últimas semanas, a diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva, disse que vê maiores chances de a economia global fazer uma aterrissagem suave à frente. Segundo ela, a economia mundial demonstrou uma “resiliência notável” e o primeiro semestre de 2023 trouxe “boas notícias”, principalmente, por conta de uma demanda por serviços mais forte do que o esperado e “progressos tangíveis” na luta contra a inflação.

A China, de outra parte, anunciou a adoção oficial de nova criptomoeda como a sua moeda oficial. Qual a finalidade desse novo projeto monetário? O projeto da civilização do dinheiro possibilitou a ampliação do poder nas mãos de grupos que praticaram a arte da multiplicação. Hoje tudo depende do dinheiro, o rei que reina acima das mercadorias e do trabalho. O dinheiro se presta para pagamento, a mercadoria universal, o denominador abstrato dos bens, mas também é poder na mão de quem o detém. Adorado e idolatrado acima de tudo pelos seres humanos, embora a verdadeira riqueza seja ofertada pela natureza. Perdendo a ligação com a natureza, perdemos tudo.

Antigas profecias anunciavam que o futuro traria a fome. O sol também chama a atenção para que os homens pensem seriamente na vida e sua finalidade, e não se entreguem cegamente ao poder do dinheiro, mas construam e beneficiem o planeta para evitar as penúrias. Havia uma expectativa. Algo para acontecer. Uma nova doença. Uma crise econômica. E todos foram surpreendidos por ação terrorista, inclusive o povo de Israel. Precisamos de Paz na Terra e evolução espiritual.

Muito preocupante são os recentes acontecimentos no oriente médio. Em 1973, o mundo tinha sido sacudido por uma guerra e pela crise do petróleo. E de repente estamos vivendo uma situação complicada no tabuleiro mundial pelas consequências que poderão provocar no já conturbado século 21. Haja serenidade.

Estamos num momento decisivo para a humanidade que se deixou arrastar para os prazeres mundanos e se encontra desorientada diante de um planeta devastado pelas cobiças e imediatismo. O homem se tornou o lobo do homem. Como dar um basta ao derramamento de sangue?

Moisés, Jesus, Maomé e Abdruschin tiveram uma trajetória histórica que deveria ter dado unidade à busca pela Luz da Verdade do Altíssimo, mas isso requer força de vontade. Sombras de ódio e medo assolam a humanidade que, com humildade, perante o Criador de Todos os Mundos, deveria ter se dedicado ao fortalecimento e aprimoramento espiritual. Como reencontrar o caminho para um viver de acordo com as leis da Criação? Em meio à turbulência materialista, falta clareza e o sincero querer de paz para alcançar o alvo da vida, ou seja, o real progresso espiritual.

*Benedicto Ismael Camargo Dutra, graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP. Coordena os sites www.vidaeaprendizado.com.br e www.library.com.br/home . E-mail: bicdutra@library.com.br

AS LEIS DO AQUÉM E DO ALÉM

A humanidade se afastou da natureza e suas leis. Esqueceu a ancestralidade e o significado da vida. Esqueceu de sua essência espiritual. Inventou um dinheiro instável e flutuante, o qual se tornou o fundamento de todas as atividades. Em meio a todas as barbaridades praticadas contra a natureza, parece estar chegando um novo ciclo de atividade solar aumentada, o que está alterando o clima do nosso planeta.

As pessoas viviam para aproveitar a vida com lazer e prazeres. Isso está no fim. Não utilizaram o tempo para compreender o funcionamento das leis da Criação e evoluir, e agora não entendem os acontecimentos que estão espalhando inquietação. As crianças estão expostas a muitos exemplos errados e prejudiciais. A criança que aprende com os pais sobre o funcionamento das leis da Criação terá a grande chance de se esforçar para ser um verdadeiro ser humano.

O planeta está sujeito a um forte abalo. Os seres humanos nasceram na Terra, mas não se prepararam para a vida de forma natural. Inventaram o dinheiro, mas não criaram os mecanismos necessários para evitar a deterioração da moeda. Agora colhemos as consequências. Apesar de a programação das TVs apelar sistematicamente para a atividade sexual, na vida difícil, homens e mulheres estão evitando gerar filhos, acarretando o envelhecimento da população.

Os políticos sonham com poder permanente e sempre que podem caminham nessa direção. No ocidente, com a proeminência do dólar americano, o poder econômico tem mantido o controle do poder. Com o capitalismo chinês, o Estado controla o poder econômico e tudo o mais. Nisso surge o grande embate que se trava no ocidente: para onde vai o Brasil e as nações latino-americanas?

O essencial é como fazer tudo melhorar: saúde, segurança pública, educação e preparo para a vida. Esse deveria ser um objetivo da humanidade, das nações, das elites dominantes. Mas o que tem prevalecido são as cobiças e as tiranias disfarçadas que agora mostram as suas reais intenções. China e EUA estariam se preparando para entrar em acordo? Novo tratado de Tordesilhas Washington – Pequim? Estariam dividindo o mundo: recursos naturais, tecnologia, mercados consumidores, influência e domínio sobre os povos, ou se preparando para a guerra?

Os homens preparam o terreno para implantar seus planos de poder e dominação. As leis da Criação trazem as consequências do falhar da humanidade. As incoerências são inacreditáveis. Por exemplo, produzem alimento para vender, mas se o preço cai, destroem as plantações para não baixar o preço. Se estão em guerra, impedem que o inimigo receba comida. Na história da economia mundial, os que produzem riqueza com o trabalho em geral ficam com pequena parcela, consomem pouco, alimentação simples, vestimentas comuns; temerosos, buscam poupar; o grosso fica concentrado nas mãos de poucos, que em geral optam por importar especiarias para consumir.

A humanidade está atingindo o ponto de viragem de tudo que atraiu e terá de arcar com as consequências. Antropoceno é definido como a época atual com os visíveis sinais de estresse causados pelo homem dominador no planeta, na natureza.

A sociedade perdeu o saber das leis da Criação. Gerar filhos é dar oportunidade a um espírito encarnar para sanar erros e evoluir, algo nobre, mas não é a finalidade principal do homem ou da mulher, pois cada um também nasceu para evoluir espiritualmente. Os idosos têm de aproveitar o tempo para estudar as leis espirituais da Criação e se tornarem úteis e beneficiadores.

Aquém e além são faces da mesma moeda. Abdruschin (1875-1941), autor da Mensagem do Graal, relata as consequências maléficas das teorias engendradas pelos homens e suas ações no campo material e espiritual. As leis percebidas no mundo material são as mesmas que atuam no mundo espiritual. Uma delas, a da atração da igual espécie que tem ampla atuação através da qualidade dos sentimentos, pensamentos e ações dos homens. Ou seja, se não houver pensamentos voltados para a pureza das intenções, a imoralidade promove o continuado aumento dela e destruição.

*Benedicto Ismael Camargo Dutra, graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP. Coordena os sites www.vidaeaprendizado.com.br e www.library.com.br/home . E-mail: bicdutra@library.com.br

AS PORTAS DO INFERNO

“A humanidade abriu as portas do inferno. O nosso foco aqui são as soluções climáticas e nossa tarefa é urgente. Um calor terrível está provocando efeitos terríveis”, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres, ao abrir a Cúpula de Ação Climática, em Nova York, no dia 20 de setembro.

Os oceanos tendem a ficar mais quentes porque o Pacífico Tropical, sendo a maior bacia oceânica do planeta, libera parte de seu calor excedente para a atmosfera, o que eleva sua temperatura. O El Ninho é um fenômeno atmosférico-oceânico caracterizado por um aquecimento anormal das águas superficiais do Oceano Pacífico Tropical. Esse evento acontece em decorrência do enfraquecimento dos ventos alísios e costuma ocorrer em intervalos de dois a sete anos.

A radiação solar, sensivelmente mais quente, distribuída de forma desigual sobre a superfície terrestre, gera uma diferença de pressão atmosférica entre o Equador e os polos. Com altas temperaturas e elevada umidade do ar, o calor aumenta. Os gases de efeito estufa aprisionam o calor. As alterações do clima assustam a humanidade que sempre deixa tudo para a última hora enquanto estiver tirando proveitos.

Estamos na Primavera de 2023 e as previsões meteorológicas apontam para uma elevação da temperatura nos próximos dias em várias regiões do Brasil; inclusive na cidade de São Paulo estão previstas temperaturas acima de 36°C. Em meio a tantas controvérsias surge a novidade: o sol está mais quente e sobre ele não temos controle; só nos resta buscar a sombra de árvores frondosas.

Muitos acontecimentos denunciam a decadência da humanidade, mas tudo fica para depois. A visão dos homens está se estreitando, reduzindo sua condição humana. Um comportamento ético e respeitoso com a vida e a natureza teria evitado tantas desgraças que se aproximam.

As pessoas estavam acostumadas com o arquivo físico e achavam o que procuravam. Veio a Internet e de repente houve um salto, e agora tudo está pressionando, não vamos mais ao banco, não há com quem se possa conversar, tudo frio e chato: “escolha a opção desejada para que a máquina possa lhe ajudar”. Mas esta nem sempre ajuda e fica num interminável blablabá. É preciso raciocinar como a máquina para ser atendido, mas ela fica impassível e se você errou, azar seu. O mal-estar vai se expandindo, afastando as pessoas da vida e seu significado.

A atividade econômica estável esbarra no sistema produtivo que se estruturou com base em dispendioso custo fixo e financeiro, que na recessão superam as receitas. Então surgiram grandes conglomerados que ficaram dominadores, mas a força de trabalho também, e daí surgiram embates. A novidade veio do capitalismo de Estado que impõe a regulamentação. Para onde tenderá a economia mundial? Há os adeptos de concentração do poder nos homens de Estado, e os que querem o poder na iniciativa privada. No entanto, ambos dependem do dólar, a moeda mundial corrente. Quem vai comandar?

Esquecendo o espírito e sua voz interior a fim de atender desembaraçadamente as exigências materialistas, o ser humano dificilmente encontrará alguma felicidade, pois estará sempre procurando algo para suprir o vazio de sua vida sem finalidade mais elevada do que o atendimento das necessidades físicas. Atualmente ficou mais difícil, pois as pessoas criaram uma frieza no seu viver sem empatia, o que exige comportamento mecânico, rígido, sem a mobilidade intuitiva que vai além da percepção materialista.

É calculado o PIB, Produto Interno Bruto, e não se examina a questão do bem-estar geral, a Felicidade Interna Bruta (FIB), em que a prioridade de uma sociedade não deveria ser somente o crescimento econômico, mas a integração do desenvolvimento material com o psicológico, o cultural e o espiritual, sempre em harmonia com a natureza e suas leis da qual a Terra faz parte.

O viver nas grandes cidades está no limite assustador no trânsito, na segurança, na qualidade de vida, na luta pela sobrevivência, mas só quando se aproximam do insustentável, das portas do inferno, é que os homens começam a pensar em soluções. Depois de milênios de mentiras tomadas como verdades, a humanidade se encontra como um Titanic sem rumo, mas ao longe, como um farol de esperança, se encontra a Luz da Verdade.

*Benedicto Ismael Camargo Dutra, graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP. Coordena os sites www.vidaeaprendizado.com.br e www.library.com.br/home . E-mail: bicdutra@library.com.br

 

A ECONOMIA IRÁ SE SUSTENTAR?

Passados mais de dois anos de paradeira o pessoal está tentando juntar os cacos. Alguns não conseguirão reconstruir o que foi desmontado. A população vai elevando o consumo de forma gradual, buscando menores custos. É uma oportunidade para empresas estrangeiras que operam pela internet com menor custo. Shoppings e supermercados tentam se ajustar com ofertas, porém os custos são elevados; querem recuperar perdas com preços altos, mas a receita sobe pouco e há limite para cortar custos. Como a economia irá se sustentar?

As coisas mudaram. O avanço da internet e computadores possibilitaram o avanço da globalização e das empresas que operam em escala mundial. Os governantes permitiram, o resultado é esse: as sardinhas são engolidas. Os tubarões puxam as sardinhas e as brasas. Mas há modificações, pois a humanidade entra no modo padronizado que vai sendo imposto.

A casta que açambarca o poder das nações é sempre da mesma espécie: querem para si riqueza, poder, influência, impedir concorrentes. Uma vez instalados, não querem perder seus privilégios, pouco se importam se fazem mal governo pois compram a mídia para manipular a população com ninharias e decadência. Esbanjam recursos escassos que faltarão amanhã. A humanidade está sendo nivelada por baixo, a indolência dos indivíduos é a causa, pois se deixam envolver pelas manobras de manipulação psicológica e mental.

As escolas e a educação precisam encontrar fórmulas práticas para dar bom preparo para a vida e formar seres humanos e cidadãos de qualidade e beneficiadores do mundo. O trabalho faz parte da vida, mas as novas gerações receberam inadequada orientação. Falta bom preparo, seja dos empresários ou dos assalariados.

As maquinações dos homens afastados do espírito da boa vontade ficam ocultas. A escuridão está aumentando. Acima disso tudo está o funcionamento das leis do Criador que, com força aumentada, promovem os desencadeamentos do querer íntimo e ações dos seres humanos, uma consequência após outra, sem tempo para respirar, ou seja, tudo que estamos vivenciando tem origem no querer espiritualmente indolente das pessoas.

Há muitas teorias, mas pouco se sabe sobre a vida. Os humanos separaram o aquém do além, mas é tudo uma coisa só. No aquém estão os encarnados em um corpo temporário do qual um dia se despirão, retornando a alma para o lado constituído de outro tipo de matéria, até evoluir para o mundo espiritual ou estagnando e acabar perdendo tudo. É o que está previsto e organizado pelas leis da natureza ou leis da Criação, até agora pouco estudadas.

Nas contas do poder público entra muito dinheiro procedente da população em geral que paga impostos sobre todas as coisas. É um dinheirão que deveria ser destinado para melhorar as condições gerais de vida, mas grande parte vai desaparecendo sem que precisem prestar contas do que fizeram. A casta que assume o poder vai atraindo aqueles que podem ajudar na tarefa de convencer o público de que está tudo bem e que o aumento na dívida é para assegurar a melhora geral que nunca chega.

Desde o desfecho da Segunda Guerra Mundial os seres humanos têm sido incentivados a renovar as esperanças em dias melhores através das reuniões dos chefes de Estado: G7, G20, Brics, mas a esperada melhora geral ainda não aconteceu. Há um desequilíbrio geral, as nações estão superendividadas e a qualidade de vida sofre abalos até nos EUA e Europa.

O futuro é imprevisível. A simples aplicação de taxa de juros e aperto na oferta de dinheiro já não dá os resultados esperados. As variáveis ficaram mais severas: população mundial na casa dos oito bilhões, alteração do clima, produção e comércio têm nova estrutura com a globalização da economia. Não se trata mais de simples inflação, é o conjunto das atividades humanas que perdeu o modo tradicional dos povos e ainda não consolidou uma alternativa e isso está acarretando instabilidade geral e incertezas quanto à sustentabilidade no futuro próximo.

As novas gerações estão sendo afastadas da vida real. A humanidade está perdendo o bom senso. As pessoas são pegas de surpresa, palavras e imagens surgem como flechas venenosas. Difícil não se abater nesse meio deprimente, mas temos de ser fortes para superar os abalos.

*Benedicto Ismael Camargo Dutra, graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP. Coordena os sites www.vidaeaprendizado.com.br e www.library.com.br/home . E-mail: bicdutra@library.com.br

MESSIAH

Na série primorosa de ficção da Netflix, um homem carismático se envolve com religião e geopolítica, tornando-se um mensageiro, como ele próprio se autodenomina, e arrasta multidões de seres humanos que esperam o Guia Espiritual de acordo com suas crenças. Jesus Cristo disse que não voltaria, e em seu lugar viria o Filho do Homem, mas se retornasse à Terra, como seria recebido pelos poderosos?

A presença de um estranho no ninho não é bem-vinda, pois os homens poderosos, do ocidente e do oriente, são movidos pelas cobiças por riqueza, poder e influência, ficando preocupados e temerosos de que aquele homem carismático possa influenciar a massa contra o sistema. Estamos na fase dos falsos profetas. O seriado pode ser encarado como uma simulação dos acontecimentos perturbadores da ordem pública e suas consequências. É uma trama bem-feita com a amenização da tragédia provocada para restabelecer a rotina da vida.

Jesus, o Messias, encarnação de essência divina, há dois mil anos recebeu um corpo terreno da forma como todos o recebem, de acordo com as leis naturais. Ele trouxe a Luz da Verdade das leis naturais da Criação para a humanidade que havia perdido o rumo, por ter enclausurado o espírito, impedindo-o de atuar, o que a afastou do Criador e suas leis. Ao recompor a verdade perdida, e diante da conspiração trevosa dos sacerdotes, Jesus retornou à sua origem, pedindo ao Pai o envio do Filho do Homem para concluir os esclarecimentos sobre a Vontade de Deus, e aplicar o Juízo Final.

Com os erros de memória e inserções, pouco restou das palavras originais de Jesus, abrindo espaço para a crença cega, amparada em frágeis alicerces. Depois de milênios de conceitos errados tomados como verdades, a humanidade se encontra como um Titanic sem rumo em meio à grande colheita em andamento. A missão do Filho do Homem aqui na Terra é a continuação e a conclusão da missão do Filho de Deus, ambos genuínos emissários de Deus, trazendo a Força da Luz para purificação, elevação e renascimento. Agora é a hora em que a crença tem de se tornar convicção através de análises irrestritas em concordância com as leis naturais da Criação em sua lógica perfeita.

*Benedicto Ismael Camargo Dutra, graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP. Coordena os sites www.vidaeaprendizado.com.br e www.library.com.br/home . E-mail: bicdutra@library.com.br

INTUIÇÃO

“Etimologicamente, Hipotálamo, diretamente do grego, significa o mais profundo, o quarto, o tálamo nupcial. Talvez por isso Descartes chamou o hipotálamo de “casa da alma“, a sede onde repousa a alma, há muito tempo, Aristóteles dizia que no hipotálamo a personalidade do homem se concretizava porque nele os sentimentos se encontravam.

O hipotálamo e a amígdala cerebral são duas estruturas fantásticas que proporcionam uma visão equilibrada dos riscos, medos, paixões e deficiências. Eles constituem o nosso capital emocional. As emoções nascem da atividade do nosso sistema nervoso. Eles fornecem o mais intrínseco dos comportamentos e, claro, são essenciais para a vida.” Texto de Fernando Bayon – https://www.eoi.es/blogs/fernandobayon/2014/12/23/el-cerebro-emocional-i/

Abdruschin, em sua obra Na Luz da Verdade Mensagem do Graal, fala da oficina do cérebro, onde entra a intuição e é desenvolvido o raciocínio. A intuição procede da alma, do espírito, e o raciocínio trabalha na adequação ao espaço tempo. A intuição é captada pelo cerebelo que a envia para a oficina onde os órgãos do cérebro a tornam compreensível, mas hoje grande parte dos seres humanos tem o cerebelo enfraquecido, prevalecendo o sentimento produzido pelo cérebro e instintos. O ser humano é o espírito ignorado e enclausurado. Dê espaço a ele e verás o mundo e a vida em sua forma natural.

*Benedicto Ismael Camargo Dutra, graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP. Coordena os sites www.vidaeaprendizado.com.br e www.library.com.br/home . E-mail: bicdutra@library.com.br

DÍVIDAS E INDEPENDÊNCIA

E mais uma vez chegamos na semana da pátria, mas quem está preocupado com isso? Poucos ainda se lembram com clareza do significado do 7 de setembro de 1822. Naquela ocasião, o Tesouro Nacional ficou na pior. Segundo o site Dívida Cidadã, a independência só foi reconhecida depois que o Banco da Inglaterra passou para o Brasil uma dívida de 3,1 milhões de Libras Esterlinas que havia sido contraída por Portugal! Assim, o Brasil já nasceu endividado! Uma colônia informal dos credores.

A grande imprevidência de governantes os levam a gastar tudo que arrecadam e mais; quando começam a fazer isso, o déficit e a dívida não param de crescer, o Estado permanece, mas fica sem energia para conduzir o povo para a evolução real. Governantes e economistas devem olhar para o que acontece com as riquezas decorrente dos recursos ofertados pela natureza. Quanto deveria custar a gasolina numa nação que possui reservas de petróleo em seu solo? Se a natureza contemplou um país com essas reservas, por que a gasolina tem de ser mais cara do que em outros países que não as possuem? Seria a continuidade do projeto colonialista?

Há várias questões que devem ser examinadas pela elite pensante. A China deu nova dimensão à fabricação de produtos. A população cresceu e o planeta apresenta as consequências da utilização abusiva dos recursos que se agravam com o sensível aumento do calor proveniente do sol. O sistema eleitoral está susceptível a novas influências. Isso tudo cria situações especiais para serem analisadas. As nações precisam de um projeto de produção, exportação, importação, orçamento, acompanhamento das contas, preparo das novas gerações.

Para que a nação não se torne dependente o governo tem de reunir as informações para dar apoio à iniciativa privada. Está em curso uma ideia entre as nações de produzirem mais internamente para reduzir a dependência externa. Há a questão do dólar que atinge os países que praticamente emitem uma não-moeda. São países mal geridos onde prevalecem o compadrismo e os desvios das verbas. A volatilidade cambial também ocorre em função da ausência de um planejamento adequado do equilíbrio nas contas, o que requer boa gestão. A taxa de juros exerce forte influência sobre o câmbio.

Para que as nações se tornem economicamente mais independentes, elas precisam integrar as novas gerações nesse propósito. Os jovens devem ser motivados e aprender fazendo. Se uma parte da população vai envelhecendo e as novas gerações não percebem oportunidades nem se interessam é o fim. A questão premente no bom preparo para a vida é a falta da integração de educação com as leis da natureza.

Estariam os logaritmos embotando a clareza no pensar? Os cientistas advertem que mais de 50 gigatoneladas de gases de efeito estufa são lançadas anualmente na atmosfera, e que a solução é preservar e ampliar as florestas. De fato, destruir a cobertura verde do planeta foi um desatino. Outros pesquisadores dizem que o problema não é estar esquentando ou gelando; falta entender o que está acontecendo. A temperatura oscila entre super calor entremeado de dias de super friagem. As massas de ar frio e nuvens estão se tornando mais densas. Quando o céu está limpo, o sol esquenta tudo. Quando é encoberto pelas massas de ar gelado, a temperatura cai drasticamente em poucas horas. Aumentam os furacões, tudo isso acarreta consequências para a saúde e para a agropecuária.

A maré das baixas paixões e cobiças quer arrastar a humanidade para os abismos da destruição. Estamos diante de enorme efervescência que tende a aumentar. O ser humano tinha tudo para dar certo, fortalecer o espírito, evoluir, mas com seu livre-arbítrio seguiu por caminhos errados. Esperava-se por um período árduo, mas tudo ficou bem difícil como se fosse o desmanche geral das coisas em desacordo com as leis da vida.

É preciso reiniciar a construção a partir do ponto em que cada um se encontra, buscar a Luz da Verdade para sair do caminho que leva ao abismo dos erros e falsos conceitos. Inconscientemente, muitas pessoas percebem isso e se sentem invadidas pelo desânimo.

*Benedicto Ismael Camargo Dutra, graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP. Coordena os sites www.vidaeaprendizado.com.br e www.library.com.br/home . E-mail: bicdutra@library.com.br

 

 

A NOVA GUERRA

Após as trágicas guerras mundiais do século 20, os seres humanos esperavam que não passariam mais por esse sofrimento. Mas o que fizeram? Esqueceram a sua origem e a finalidade da vida e forjaram um viver insipido como se estivessem num parque de diversões para viver no comodismo onde não precisassem fazer nada, só buscar comida, bebida e prazeres.

A questão básica é saber o que é intuição e de onde ela procede. O cérebro humano é uma ferramenta miraculosa, mas está subordinado ao tempo-espaço, o que não acontece com a intuição sentida com nitidez porque o cerebelo ficou atrasado enquanto o cérebro frontal foi superdesenvolvido tornando-se dominador, mas sujeito às influências externas que limitam a base do pensar com clareza, simplicidade e naturalidade. O cerebelo tem capacitação superior à Inteligência Artificial, pois em seu desenvolvimento normal capta saberes que se situam além do mundo material que o cérebro do raciocínio tem de analisar e ajustar para a correta utilização.

Quem, diante do mundo áspero e assustador em que vivemos, está procurando paz para sua alma? Após o término da Primeira Guerra Mundial a humanidade não buscou por um novo caminho mais iluminado, permanecendo na mesma forma indolente de viver. Vinte anos depois, em 1939, teve início a Segunda Guerra Mundial. Em 2023, com aspereza aumentada, o que nos reserva o futuro? Taiwan surge como região potencialmente perigosa.

As pessoas dizem que atualmente se cansam mais mesmo fazendo menos coisas. O tempo evapora. Há vários fatores que influem nessa sensação. Aumentaram as dificuldades, os acontecimentos se aceleram, a digitalização acelera os efeitos. Mas há algo nefasto no ar. Faltam pensamentos com pureza voltados para o bem. É isso que cria aspereza. Faltam palavras amistosas, o que gera o antagonismo. Faltam ações simpáticas. Tudo isso forma uma barreira que exige esforço. Bons tempos aqueles em que os seres humanos viviam em mútua colaboração. Temos um corpo e alma que se ressente do turbilhão de pensamentos malévolos espalhados pelo mundo. Há de se conservar puro o foco dos pensamentos para alcançar paz e sabedoria.

Há muitos sentimentos e pensamentos de medo e ódio. A cobiça e inveja do que outro tem e do que o outro aparenta ser deixa muitas pessoas aflitas por acharem que isso não é justo; elas é que deveriam estar naquele lugar festivo. Então permitem que o mal domine seus pensamentos; isso já é uma guerra em gestação. Quantos seres humanos não estão gerando conflitos e turbulência pelo mundo? Tais pensamento não ficarão impunes.

2020, o ano da pandemia, assinalou um especial momento de transição. A situação geral da vida vem tendendo para a absoluta perda do humano, o que acarretou a balburdia atual. Problemas, morais, econômicos, sociais, de saúde, de escassez de água e alimentos. Tudo isso contribuiu para o atordoamento dos seres humanos que ficaram procurando distrações para esquecer as dificuldades, em vez de se fortalecerem, buscando as causas para descobrir que há séculos a espiritualidade está sendo posta de lado, e agora se veem cercados pelos erros e pelas mentiras.

As novas gerações estão percebendo as manobras e cobiças que visam a dominação e anulação do querer da alma. Desanimadas e com pouca esperança, se quedam inertes. Muitos jovens caem na indolência sem vontade para estudar e trabalhar. Vão levando a vida sem sentido, de um lado para outro. Com sua indolência, não procuram conhecer o verdadeiro significado da vida.

As trevas querem impedir o avanço dos seres humanos para que não conheçam a verdade libertadora de milênios de caminhos errados. Na escuridão da guerra espiritual, é indispensável buscar a Luz da Verdade, a boia de salvação nesse agitado mar de acontecimentos impactantes que se sucedem velozmente. Que aqueles que procuram a luminosa verdade a encontrem e transformem a Luz da Verdade em convicção através de análises sinceras e irrestritas, escapando assim da tirania das trevas que tudo fazem para sufocar e destruir o espírito, a essência do ser humano.

*Benedicto Ismael Camargo Dutra, graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP. Coordena os sites www.vidaeaprendizado.com.br e www.library.com.br/home . E-mail: bicdutra@library.com.br

Intelecto, Entendimento, Raciocínio, Intuição

Intelecto significa a capacidade de compreender o que se passa a nossa volta. A palavra vem do latim e significa ler por dentro, entendimento, raciocínio, reflexão. É uma capacitação exercitada através da inteligência. A ciência tem seu ponto de partida na atividade intelectiva cujo campo é a realidade material, das coisas objetivas situadas no tempo e espaço, ou seja, coisas finitas, separadas da realidade espiritual.

Entendimento significa a capacidade de avaliar os seres e as coisas; julgamento, opinião. É a capacidade intelectiva de perceber e compreender as coisas. Também originada do latim “intendere”, pode significar ainda “estender”, estando relacionado com o que seria a ideia metafórica do entendimento: o ato de estender ou esticar os conhecimentos, com a finalidade de chegar ao objetivo pretendido.

A ação metafórica de “esticar”, ou seja, o “estender” os conhecimentos, faz com que o indivíduo consiga chegar a um entendimento consigo mesmo ou com outra pessoa, pois consegue sair de sua “zona de conforto” e perceber outros pontos de vista. Também significa o entendimento entre pessoas que chegam a um acordo sobre alguma questão.

Raciocínio é o exercício da razão pelo qual se procura alcançar o entendimento de atos e fatos, que permite formular ideias, elaborar juízos, e deduzir algo a partir de uma ou mais premissas. É o ato ou maneira de pensar ou raciocinar. É uma sequência de juízos ou argumentos usados para chegar a uma determinada conclusão. O raciocínio é um fenômeno mental produzido por um cérebro em funcionamento saudável. Existem diferentes tipos de raciocínio, como o dedutivo e o indutivo. Enfim, são palavras de significado próximo, o essencial é que tudo isso tem origem no cérebro frontal.

A intuição é definida como a capacidade de perceber, discernir ou pressentir uma explicação independentemente de qualquer raciocínio ou análise. Mas o raciocínio pouco pôde compreender sobre a origem e significado da intuição. Diz Abdruschin em sua obra Na Luz da Verdade Mensagem do Graal que a intuição é a voz interior, da alma que todo ser humano tem, e é captada pelo cerebelo. A intuição provém de outras esferas; é a percepção de que além do mundo material há outras áreas fora do alcance do cérebro; é simples e clara, enquanto o raciocínio se restringe ao mundo material, e deveria ser empregado no exame e utilização da intuição.

Com o predomínio do intelecto e sua capacidade de raciocinar, o cerebelo acabou meio desativado e esquecido, e a intuição confundida com o falho sentimento que se origina da junção do raciocínio com os instintos do corpo. O sentimento não é bom conselheiro, porém a voz interior geralmente traz imagem alertadora e não deve ser posta de lado.

“A intuição é espiritual, está acima dos conceitos terrenos de espaço e tempo. O sentimento é constituído de fina matéria grosseira, dependente dos instintos e do raciocínio, portanto de nível interior” (Mensagem do Graal). Os seres humanos deveriam dedicar mais atenção à sua percepção intuitiva, e não cair nos engodos do sentimento.

AS CONSEQUÊNCIAS DA DEPENDÊNCIA ECONÔMICA

Todos sabem como é delicada a situação de depender de terceiros, mas por que deixam que isso aconteça? O Brasil sempre ficou atrelado a interesses externos, desde a produção e exportação de açúcar, café, entre outras commodities. Com tantos recursos naturais e mão de obra, o país poderia ter construído uma economia menos dependente e se tornado mais próspero. Sem visão e sem empenho, os governantes do país o acorrentaram aos poderes e interesses externos há mais de 200 anos. O atraso latino-americano vem desde as repúblicas montadas para atender a interesses particulares. A população até que ensaiou uma evolução, mas a pobreza material e espiritual domina amplamente.

Em meio a tantas desgraças, a sociedade se sente acossada pela síndrome de pânico, sendo que na América Latina esse problema é mais grave ainda. As pessoas estão assustadas, inquietas. Em meio às crises econômicas esse é mais um fator para manter a estagnação geral.

A moeda é dita como produto do Estado, mas na verdade é o poder na mão daqueles que o comandam, e razão da revolta de outros, cuja moeda está longe de ser a moeda internacional que todos acolhem. Se ela sair do físico virtual e passar para o digital possibilitará a ampliação do controle dos movimentos. Aí entram as dúvidas sobre as atividades da sociedade moderna e a grande sombra que permeia os cartéis no mercado das drogas que atuam como multinacionais escorregadias e bem estruturadas. Haverá algum tipo de arranjo?

Cautela é a palavra para o momento. O Brasil está perto do labirinto das dívidas dominantes, mas ainda não está nesse nível. Precisa cuidar atentamente das contas e não permitir que políticas governamentais imediatistas lancem a nação numa vala profunda. Se a inflação mundial se instalar, o Brasil será fisgado pelas importações que terão seus custos elevados, algo a ser meticulosamente planejado.

O espírito intui, o intelecto raciocina. Quando o espírito não se fortalece e deixa o intelecto se impor, a intuição vai perdendo força e o indivíduo também perde a força de vontade, e vai se acomodando, pois lhe faltam propósitos. Assim, vai deixando a vida rolar e, consequentemente, seu pensar vai perdendo naturalidade, simplicidade, agilidade e clareza. O pensamento fica confuso e o raciocínio perde a lucidez; é o enrijecimento.

Então os especialistas que buscam atender aos interesses do poder, acham que a solução para lidar com a questão do baixo aprendizado das novas gerações deverá ser introduzir o pensamento artificial direcionado pelas máquinas para que os indivíduos tenham alguma funcionalidade para o sistema, mas com isso o ser humano acaba perdendo a sua a essência, a conexão com a alma.

É lamentável a situação em que se encontra grande parte dos estudantes. Inseguros, sem clareza no pensar, estão sem rumo. A velha estrutura foi impactada pelo realismo das poucas expectativas para o futuro. O que fazer? Para que fazer? O que somos nós? O que é a vida? O desemprego dos jovens é brutal. Em vez de ser eterno aprendiz, em meio à estagnação, as novas gerações estão desaprendendo a viver. Infelizmente a qualidade da educação tem piorado. Aulas chatas, alunos desinteressados.

Como os estudantes poderão ter prazer de estudar e construir o próprio futuro se perderam a esperança em um mundo melhor, e estão desconectados da própria alma e da intuição, que são a essência do ser humano? Deveriam estar sabendo ler e escrever bem. O meio digital é importante no ensino e poderá ser um simplificador em meio a tantas teorias distantes da realidade, raramente utilizadas ao longo da vida; mas o professor deve explicar na lousa, fazendo uso do giz para boa conexão com os alunos e para facilitar a compreensão do conteúdo abordado na aula.

Aprender com quem sabe fazer. Aprender fazendo. Esse parece ser o jeito certo de aprender em vez de ser envolvido por toda a teoria para depois se ajustar na vida real; o ensino precisa de atualização ante a aceleração geral. Muitos estudantes gostariam de ter aulas que os tornassem aptos para utilizar na prática e imediatamente o conhecimento adquirido. O Brasil está ficando para trás e caminhando aceleradamente para a dependência econômica e tecnológica, comprometendo seriamente o futuro.

A situação real é que o espírito fica aprisionado no corpo dominado pelo cérebro e pelos instintos corporais, sem ter condições de se manifestar para colocar em movimento a essência do ser humano. A vida é um eterno aprendizado, uma jornada para evoluir, mas aqui chegando, as pessoas se esquecem da finalidade da existência e se deleitam com as ninharias do mundo material enquanto o espírito cai na indolência e fraqueza, e não cumpre nem dez por cento do que poderia e deveria.

*Benedicto Ismael Camargo Dutra, graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP. Coordena os sites www.vidaeaprendizado.com.br e www.library.com.br/home . E-mail: bicdutra@library.com.br